Chafarizes

Para quando o restauro dos Chafarizes do Carmo e da Rua do Arco a São Mamede (MN)? 964 1024 Paulo Ferrero

Para quando o restauro dos Chafarizes do Carmo e da Rua do Arco a São Mamede (MN)?

Exmo. Sr. Presidente da CML
Eng. Carlos Moedas
Exmo. Sr. Presidente do C.A. da EPAL
Eng. José Sardinha
Exmo. Sr. Presidente da JF Santa Maria Maior
Dr. Miguel Coelho
Exmo. Sr. Presidente da JF Santo António
Sr. Vasco Morgado
C.C. AML, DGPC e media
Considerando os termos do protocolo assinado em 1 de Abril de 2020, entre a CML e a EPAL, designadamente os da sua Cláusula 2ª, em que se afirma o compromisso de se proceder a intervenções de conservação e restauro numa série de chafarizes de Lisboa, já concretizadas nos chafarizes da Esperança e do Rato (embora aqui sem água);
E que no caso dos chafarizes no Largo do Carmo e na Rua do Arco a São Mamede, as intervenções estavam previstas, respectivamente, para 2019/2020 e 2020/2021;
Considerando o estado lastimável dos chafarizes referidos, situação que nos devia envergonhar a todos, como as fotos documentam,
Considerando que já passaram quase 9 anos sobre o acto de vandalismo (de 23 para 24 de Novembro de 2014) que levou à destruição do frontão do Chafariz da Rua do Arco a São Mamede, Monumento Nacional, tendo o mesmo ficado na altura feito em pedaços (foto 1, de Rui Castro);
Solicitamos a V. Exas. que, a menos que o protocolo em apreço se refira ao Dia das Mentiras de 2020, nos informem sobre a data de início das obras de conservação e restauro dos Chafarizes do Carmo e da Rua do Arco a São Mamede.
Com os melhores cumprimentos
Paulo Ferrero, Miguel de Sepúlveda Velloso, Nuno Caiado, Pedro Formozinho Sanchez, Fernando Jorge, Helena Espvall, Filipe de Portugal, Luis Mascarenhas Gaivão, Jorge Pinto, António Araújo, Gustavo da Cunha, Maria do Rosário Reiche, Fátima Castanheira, Teresa Silva Carvalho

Resposta da EPAL (06.03.2023):

«Exmas. Senhoras,

Exmos Senhores,

 

O plano de conservação e restauro dos chafarizes monumentais que pertencem ao sistema Aqueduto das Águas Livres, bem como o plano de reabilitação da função de abastecimento de água associado aos referidos chafarizes, estão a ser cumpridos de forma faseada, conforme previamente previsto, e de acordo com o protocolo assinado entre a EPAL – Empresa Portuguesa das Águas Livres, S.A. e a Câmara Municipal de Lisboa .

Conforme o plano de conservação e restauro estabelecido, foram já concluídas as intervenções nos seguintes Chafarizes:

  • Chafariz das Garridas ou Benfica;
  • Chafariz do Intendente ou Desterro;
  • Chafariz do Rato.

Estão em curso quatro empreitadas de conservação e restauro, prevendo-se a conclusão das mesmas até ao final deste ano:

  • Chafariz das Terras;
  •  Chafariz do Campo Santana;
  • Chafariz do Arco de São Mamede;
  • Chafariz do Arco do Carvalhão.

Encontram-se em fase de projeto as empreitadas de conservação e restauro dos seguintes Chafarizes:

  • Chafariz das Janelas Verdes;
  • Chafariz da Mãe d’Água à Praça da Alegria;
  • Chafariz do Carmo;
  • Chafariz de Santo António da Convalescença;
  • Chafariz da Armada;
  • Chafariz do Século;
  • Chafariz de São Sebastião da Pedreira;
  • Chafariz de Entrecampos;
  • Chafariz da Buraca;
  • Chafariz de São Domingos de Benfica.

Todas as intervenções realizadas nos chafarizes monumentais visam a reabilitação da função de abastecimento de água. Relativamente ao Chafariz do Rato, o sistema de abastecimento de água já se encontra instalado e será ligado brevemente.

A EPAL prevê que o conjunto de chafarizes monumentais do sistema Aqueduto das Águas Livres esteja totalmente recuperado até 2025.

Muito obrigado.

Com os melhores cumprimentos,

Mariana Castro Henriques»